ico mapa site Mapa do Site            ico rss Assine nosso Feed              yt ico
12/06/19

Trabalhadores em greve geral

Diversas categorias de trabalhadores paralisam suas atividades na sexta-feira (14/6), em todo o País, em defesa da Previdência Social, da educação e por mais empregos.Foto: Soraya MislehFoto: Soraya Misleh

A greve geral marcada para a próxima sexta já tem ares de vitoriosa. Além das manifestações anteriores dos educadores, nos dias 15 e 30 de maio, em muitas cidades brasileiras, servirem como termômetro da mobilização, dirigentes das centrais sindicais têm afirmado que a adesão dos trabalhadores é muito grande.

Outro contexto que está mobilizando a greve é a alta taxa de desemprego, que fechou o trimestre em 12,5%. São 13,2 milhões de pessoas sem trabalho em todo o território brasileiro, segundo dados o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 
Dirigentes de 10 centrais sindicais e movimentos sociais, que organizam a mobilização,  têm divulgado a todo instante atualizações e é possível checar nos sites das categorias a adesão, como dos metroviários, que aprovaram em assembleia, no dia 6 de maio, participação na greve. Haverá nova assembleia amanhã (13), às 18h30, para organizar a presença dos trabalhadores.

Em coletiva de imprensa na segunda-feira (10), no Sindicato dos Motoristas de São Paulo, informaram que, na capital paulista, motoristas dos ônibus das linhas municipais e intermunicipais e as linhas 1-Azul, 2-Vermelha e 3-Verde do Metrô de São Paulo vão interromper suas atividades a partir da 0h de sexta-feira.

Cinco das sete linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) também param: 8-Diamante, 9-Esmeralda, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade; além do monotrilho, linha 15-Prata.

 

Os modais coletivos, juntos, somam 15,3 milhões de deslocamentos por dia na região metropolitana, segundo a Pesquisa Origem Destino de 2017.

Wagner Fajardo, coordenador-geral do Sindicato dos Metroviários, afirma que ainda não há a confirmação de paralisação das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, que são privatizadas. Fajardo lembra que o sindicato ganhou na Justiça o direito de representar os trabalhadores destas linhas, geridas pela CCR.

 

Os bancários de São Paulo, Osasco e região, em assembleia lotada, na terça-feira (11), na Quadra dos Bancários, na Capital, decidiram, por unanimidade, juntar-se ao movimento.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE), Gilson Reis, disse que como ainda estão sendo realizadas muitas assembleias em grandes sindicatos do país e nos locais de trabalho, a Confederação não tem um balanço definitivo de quem cruzará os braços.

 

Os dirigentes sindicais dos mais de 100 sindicatos e 9 federações filiados à CONTEE estão visitando diariamente as escolas e fazendo panfletagens nos principais pontos das cidades, orientando para que todos fiquem em casa na Greve Geral. “Mas ainda não sabemos, ao certo, quantos dos 1,5 milhão de professoras e professores do país vão parar”.

Também paralisam metalúrgicos, químicos, professores, estudantes, petroleiros, comerciários, servidores públicos, entre outros.

 


Comunicação SEESP
Com agências





Adicionar comentário

Ações

Uma iniciativa da CNTU em prol do desenvolvimento nacional e do bem-estar da população. São oito temas para ajudar a mudar o Brasil.

Saiba mais

Biblioteca CNTU

Um espaço para você encontrar facilmente informações organizadas em apresentações, artigos, legislações e publicações.

Saiba mais

 SDS Edifício Eldorado, sala 108 - Brasília/DF

Tel (61) 3225-2288

© Copyright 2015 - Confederação Nacional dos Trabalhadores
Liberais Universitários Regulamentados 
Fundada em 27 de dezembro de 2006.